26 de jun de 2012

CLÓRIS FONTAINEBLEAU - BURLESQUE PERFORMER

     Nascida em São Paulo e moradora da cidade de Guarulhos /SP, Anthus da Geb (isso mesmo, nome exotico para uma dançarina exotica) é uma das poucas brasileiras representantes da dança Burlesca no pais. Artisticamente conhecida como CLÓRIS FONTAINEBLEAU, essa garotinha de 34 anos dá um pouquinho do ar de sua graça aqui pelo KKB em um pequeno bate-papo, sobre o que faz, como faz e o porque faz.



KKB - Como conheceu a dança Burlesca e como começou?
C.F.: Meu primeiro contato com o Burlesque foi assistindo a um musical que contava a vida de Gypsy Rose Lee, uma famosa burlesque performer. Depois de ver a esse filme passei a me interessar sobre o tema e comecei a pesquisá-lo. Em maio de 2010 participei de um workshop de burlesque ministrado por Lady Burly e gostei da experiência; em outubro do mesmo ano me matriculei no curso de Burlesque na Escola Burlesca de São Paulo (que é a primeira escola brasileira com curso regular de Burlesque).
Em dezembro de 2010 realizei minha apresentação num evento da escola e já em março de 2011 me apresentei profissionalmente, pela primeira vez como burlesque performer, no Clube Outs em São Paulo.
KKB - Quem são suas maiores inspirações no Burlesque?
C.F. - Dentre as internacionais estão Michelle L’amour, Sharon Davis, Mimi Le Meaux, Dirty Martini, Fannie Spankings e Brooklynbaby Dollsparacino. No Brasil, minha inspiração é Lady Burly.
KKB - Qual o estilo musical que curte se apresentar e as bandas que escuta?
 C.F.-  Gosto muito de ‘burlescar’ ao som de jazz, The Andrew Sisters e Squirrel Nut Zipers são ótimos pra esse fim, também curto Caro Emerald, Imelda May, Devil Dolls. Gosto de me apresentar junto com bandas, já fiz burlesque numa apresentação dos The Krents, burlesque com banda ao vivo é sempre muito bom, eu particularmente gosto bastante. E já fiz burlesque com repertório de outras bandas nacionais como os de The Dead Rocks e Red Lights Gang.
Também curto fazer Burlesque ao som de rock desde Elvis até Aerosmith!
Já me apresentei na Kitsch Club, no projeto Cabaret de Heitor Werneck, no projeto Cabaret Revoltaire da Isadora Krieger entre outros. Atualmente me apresento no Clube Outs e no espetáculo na Cia de Artista Revaudeville e agora, dia 5 de julho me apresento no Asteroide de Sorocaba.
 KKB - O que vc indica para as garotas que curtem o estilo de desejam começar?
C.F.-  Uma boa orientação com quem entenda bem do assunto é sempre algo muito válido. Pra quem é de São Paulo pode procurar a “Escola Burlesca de São Paulo”, onde a professora de burlesque é a Lady Burly que é uma das melhores referências dentro do burlesque nacional.
Estudar e pesquisar muito! Veja muitos vídeos a respeito do assunto, acompanhe o que acontece no meio tanto internacional como também no nacional (no Brasil são poucos os burlesque performers, mas já temos muito material produzido), procure ir assistir alguma performance ao vivo.
Dedicação é fundamental e encontrar um foco. De forma geral as burlescas focam ou na dança, ou teatro, ou performances circenses entre outros. Seguir uma determinada linha, ter um foco ajuda muito no bom desenvolvimento do trabalho.


ABAIXO ALGUNS VIDEOS DE CLÓRIS:


PARA CONHECER UM POUCO MAIS DE SE TRABALHO E PRÓXIMAS APRESENTAÇÕES, BASTA ACESSAR SUA FANPAGE NO FB.:





Contatos para shows mande um e-mail para: cloris.fontainebleau@gmail.com






Nenhum comentário:

Postar um comentário