14 de jul de 2011

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE HOT RODS - By Ricardo Kruppa

 Vamos criar a associação brasileira de hot rods?

Chegou a hora de organizarmos definitivamente o movimento Hot Rod no Brasil. Pedimos a todos que fazem parte de algum clube de Hot Rod, em qualquer lugar do Brasil, que entrem em contato com a revista Hot Rods, enviando dados do seu clube, como número de sócios, data de fundação etc.
Vamos cadastrar todos os clubes existentes no Brasil. Se você está pensando em montar um clube, a hora é agora. É necessário que nos organizemos para que o movimento Hot Rod possa crescer ainda mais.
Queremos cadastrar o maior número possível de carros para podermos divulgar a quantidade aproximada de hot rods existentes hoje no Brasil. Podem entrar neste cadastro carros em construção e até mesmo aquele carro que está guardado há tempos, esperando uma definição de seu dono. Quanto mais carros cadastrados, melhor.
O segundo passo será a criação de uma associação nacional de hot rods, que futuramente será um órgão fiscalizador, e deverá atuar na fiscalização e homologação de novos projetos. Nossa ideia é a de ajudar na busca pela certificação de projetos e, consequentemente, na documentação de novos hots, auxiliando os órgãos técnicos oficiais ou particulares. Para isso precisamos mostrar aos órgãos competentes que temos força. Nossa força é a união de todos os clubes de todos os cantos do Brasil. Logo após criarmos a associação, e de posse do cadastro nacional de hots, faremos uma reunião na qual iremos nomear uma data como sendo o “Dia Nacional do Hot Rod no Brasil”. Neste dia, todos os clubes se reunirão, cada qual em sua cidade ou bairro, e faremos um desfile simultâneo em todas as cidades onde houver hot rods, de norte a sul do Brasil, com arrecadação de donativos que serão distribuídos regionalmente.
Evidentemente que isso chamará muito a atenção da mídia, por isso é importante que tenhamos o maior número de hots nas ruas neste dia. Um evento deste porte certamente mostrará às autoridades de nosso país que temos enorme força. As autoridades interessadas podem, desta forma, ajudar a facilitar a documentação e emplacamento de novos projetos e a liberação junto aos órgãos de controle de poluição. A associação deve tratar de outros assuntos de nosso interesse também, como a importação de peças e de carros, montados ou não, redução ou isenção de impostos, e também, quem sabe, um acordo entre o Mercosul pelo qual possamos importar carros considerados como ferro-velho dos nossos vizinhos Argentina e Uruguai, sem carga tributária.
O que acontece hoje é um crime contra a preservação mundial de automóveis antigos, pois Argentina e Uruguai têm um enorme número de carros inteiros e/ ou parciais, e não tem mercado consumidor para eles. Já o Brasil, que tem um movimento Hot Rod muito forte, sofre por não ter matéria-prima básica, que são as carrocerias que apodrecem em nossos vizinhos.
Como já falamos várias vezes em outras oportunidades, o movimento Hot Rod é um movimento cultural. Diferentemente dos carros antigos originais, que preservam a originalidade de máquinas como foram projetadas pelas fábricas, o movimento hot rod preserva uma maneira de pensar e agir, que vai muito além dos carros. O homem sempre buscou uma maneira pessoal e individual de demonstrar sua criatividade. Há 200 ou 300 anos, fazia isso através da pintura, escultura, literatura, música etc. No século XX, e agora no século XXI, com a revolução industrial, esse mesmo espírito revolucionário, essa mesma necessidade de criar e de mostrar ao mundo o que se passa dentro de cada um, essa mesma força que em outros tempos inspirou Leonardo Da Vinci e Mozart, entre outros tantos, a criar as maravilhas da arte que conhecemos hoje, esse mesmo espírito criador e aventureiro, motivou os rodders inicialmente nos EUA e depois por todo mundo, a criar e inovar, saindo do lugar comum e dando personalidade aos carros que desta forma deixaram de ser um meio de transporte e se tornaram verdadeiras obras de arte.
Não se contentando com o lugar comum, esses pioneiros sonharam e realizaram seus sonhos, são eles que nos inspiram a fazermos nossos carros até hoje.
Vamos nos unir. A hora é agora, entre em contato pelo e-mail
hotrods@cteditora.com.br ou serralinda@netpar.com.br. Vamos fazer o cadastro nacional dos hots e dos clubes, unidos poderemos melhorar em muito o movimento Hot Rod no Brasil.

Um comentário:

  1. Têm que se mecher, pois a legislação atual no Brasil de trânsito deixa inviável o Hot Rod, têm q se conseguir um espaço minimo, nem que seja como a placa preta, precisa ser de um clube para se obter a placa preta..... boa sorte aos coordenadores da associação.

    ResponderExcluir